De tudo um pouco

Quais são as principais doenças em regiões litorâneas e como evitá-las?

Banco de Imagens

As regiões litorâneas são ótimas para passar o verão, curtir as férias ou aquele famoso feriado prolongado, não é mesmo? Contudo, se não tomarmos o devido cuidado, nem sempre essa diversão pode acabar bem.

Além do mais, no verão, a movimentação das praias pode aumentar, contribuindo para fomentar as contaminações e, ainda, expor as pessoas aos riscos da alta incidência de raios solares.

Pensando nisso, separamos algumas das principais doenças em regiões litorâneas e como evitá-las, para que você possa curtir ao máximo do verão e das praias, sem se preocupar.

1 - Bicho geográfico

A larva migrans cutânea, popularmente conhecida como “bicho geográfico”, consiste em um parasita, oriundo do intestino de cães e gatos, que se manifesta na pele humana. 

Uma vez na pele, a larva se movimenta, deixando rastros semelhantes a um mapa, daí a origem do nome.

De incidência maior em países de clima subtropical e tropical, especialmente nas regiões litorâneas, essas larvas são comumente encontrada na areia da praia, tanques e parquinhos.

Entre os principais sintomas do bicho geográfico, destacam-se:

-Inchaço;-Reações inflamatórias;-Coceira;-Infecções secundárias.

Uma das formas de evitar a contaminação é adotar um projeto de saneamento adequado nas praias e, além disso, evitar que cachorros e gatos defequem nesses locais.

2 - Dirofilariose

A dirofilariose, também chamada de “doença do verme do coração”, é uma antropozoonose, que se caracteriza pelo comprometimento do parênquima. 

De caráter crônico, a enfermidade é transmitida por mosquitos do gênero Aedes, Culex e Anopheles.

A contaminação está intimamente ligada à presença dos mosquitos vetores, que se proliferam em regiões quentes e em água parada, o que ocorre nas praias.

Por conta disso, é importante realizar um levantamento de fauna e flora no ambiente, para verificar se há a presença desses bichos. 

Em caso positivo, é necessário adotar medidas preventivas, como evitar água parada, usar repelentes e conter a reprodução do mosquito.

O tratamento para dirofilariose é invasivo, portanto, o melhor remédio é mesmo a prevenção.

3 - Micose

A micose de praia, conhecida como “pano branco” ou “pitiríase versicolor”, consiste em uma infecção fúngica provocada pelo Malassezia furfur, que produz o ácido azeláico.

Por causa dela ocorre a mudança na pigmentação da pele, com inibição da produção de melanina, levando à formação de manchas brancas na pele.

Com a exposição solar, esses sintomas de tornam mais evidentes e, além da coloração, a micose também causa coceira e inflamação na pele.

Em geral, esses tipos de fungos se proliferam em locais quentes e com umidade. Por esse motivo, a melhor prevenção é enxugar bem a pele após entrar na água.

Algumas pessoas, inclusive, procuram uma empresa de instalação de ar condicionado, para amenizar o clima quente que pode ajudar na manifestação do fungo.

O tratamento envolve o uso de pomadas antifúngicas e, geralmente, é pouco invasivo.

4 - Insolação

A insolação ocorre quando há exposição excessiva ao sol e ao calor, algo que pode ser intensificado nas regiões litorâneas. 

Nela, a temperatura corporal ultrapassa os 40 graus Celsius, fazendo com que o mecanismo de transpiração falhe e o corpo não resfrie.

O quadro de insolação merece cuidados, porque com o aumento da temperatura do corpo, o indivíduo acaba perdendo muita água, além de sais e nutrientes que atuam na manutenção do equilíbrio do organismo.

Por isso, no caso de insolação, é importante manter-se bem hidratado, ingerir soluções ricas em sais minerais e evitar a exposição ao sol. 

Se necessário, instale cortinas e persianas no ABC na sua casa, para evitar a entrada dos raios solares.

A prevenção inclui a ingestão de líquidos para manter-se hidratado, não tomar sol por muito tempo e ter uma alimentação saudável.

5 - Diarreia

A região litorânea também é um local propício para o desenvolvimento de doenças causadas por alimentos estragados ou ingestão da água contaminada, que pode levar ao surgimento de várias doenças, entre elas, a diarreia.

Quadros de diarreia podem levar à desidratação, que se não tratada corretamente, causa uma grande infinidade de problemas, podendo levar à óbito.

Por esse motivo, é fundamental evitar a exposição de alimentos nas regiões litorâneas, não deixar comida fora da geladeira, não colocar refeições em contato com a areia da praia e sempre lavar bem as mãos, principalmente, antes de comer.

Lembre-se de consumir alimentos de boa procedência, isto é, que tenham uma origem confiável. 

Prefira locais limpos, bem higienizados e que tenham um bom espaço de conservação das refeições.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.